Share Button

A agência de turismo Tia Augusta anunciou hoje a suspensão temporária de suas atividades. Segundo a empresa, a atitude foi tomada para que o grupo consiga se reestruturar no mercado. A Tia Augusta já passava por dificuldades desde 2008, quando a alta do dólar provocou uma queda no gasto do brasileiro com viagens ao exterior. Em comunicado oficial, a empresa alegou queda de 50% das vendas só neste ano, que resultou em um crescente endividamento bancário. A lei federal impõe à Tia Augusta seis meses para negociar sua dívida com credores. Se não houver acordo, será decretada a falência.

Img3658

Tia Augusta (foto: divulgação)

A empresa  Tia Augusta foi inaugurada em 1973, por iniciativa de Augusta Naressi e seu marido, Paschoal Fortunato. Durante esses quase 40 anos, levou 600 mil clientes para viajar (mais de 300 mil só para os parques da Flórida). Toda a história de Tia Augusta tem muita semelhança com a da Vovó Stella, dona – e garota-propaganda – da agência de viagens que levava seu nome. A famosa vovó era quase tão icônica para a garotada quanto o próprio Mickey Mouse.

Fundada em 1965, oito anos antes da Tia Augusta, a Stella Barros ficou conhecida por levar menores desacompanhados para viajar. Era o sonho de muita criança vestir a camiseta vermelha da Vovó Stella, acenar a bandeirinha da mesma cor e pegar um avião até a Disney. Ela  ficou tão conhecida que a própria Disney a chamou para desfilar nas tradicionais paradas do parque Magic Kingdom, nos anos de 1985, 1987 e 1992.

Não é coincidência que as duas empresas tenham sido tão parecidas. Antes de abrir sua própria agência, Augusta Naressi trabalhou na Stella Barros, onde adquiriu experiência no ramo. Formada em Psicologia, Augusta havia se encantado com a atração turística depois de ter passado a lua-de-mel na Disneylândia, na Califórnia. A funcionária se destacou na empresa da Vovó Stella. Por contribuir para o aumento do número de turistas brasileiros nos Estados Unidos, em 1982, Augusta Naressi foi agraciada com o título de cidadã honorária de Miami, na Flórida. Desde então, ela passou a participar como convidada de honra da abertura de todos os parques da Disney.

A Stella Barros funcionou por 38 anos, quase o mesmo tempo de atividade da Tia Augusta. Mas isso sem contar os oito anos anteriores em que Vovó Stella fechava pacotes turísticos por conta própria. Ela começou com destinos nacionais, como Foz do Iguaçu, mas logo passou a organizar excursões às Cataratas do Niágara e aos parques de Orlando, que viriam a ser sua marca registrada. Durante sua carreira, assim como o fez Tia Augusta, ela levou cerca de 600 mil clientes para o exterior.

Vovo-Stella-3-1992-Andre-Durao-Estadao

Vovó Stella, em 1992 (Foto: André Durão/AE)

A empresa da Vovó Stella fechou as portas definitivamente em 2003, com uma dívida de 15 milhões de reais. Na época, a Stella Barros declarou que o principal motivo do fracasso foi a queda nas vendas de pacotes para os Estados Unidos depois do ataque terrorista de 11 de setembro de 2001. Por causa da crise no setor, o faturamento da empresa caiu de 40 milhões para menos de 20 milhões de reais.

Um ano depois do fechamento da empresa, Vovó Stella faleceu, aos 95 anos, vítima do mal de Alzheimer. A Stella Barros tinha 29 lojas (27 delas franqueadas), e vendia seus serviços a outras 3 mil agências de turismo no país. Em 2004, a marca foi comprada em leilão por 85 mil reais pela Assetur, que ainda hoje a usa para vender seus pacotes turísticos. Augusta Naressi,  70 anos, deixa três lojas da Tia Augusta – todas na cidade de São Paulo.

(com colaboração de Júlia Bezerra)

Share Button