Share Button

O Largo do Cambuci recebe neste sábado a última parada da Rota Gastronômica do Cambuci. O bairro recebeu esse nome justamente porque era uma região da cidade com uma vasta oferta de pés da fruta. A fruta tem muita semelhança com um vaso de cerâmica – cambuci significa “pote d’água”.

O cambuci ganhou esse nome pela semelhança com um vaso de cerâmica.

A Rota Gastronômica do Cambuci desembarca no bairro-xará depois de percorrer o interior. Criada em 2009, a rota partiu do mesmo Cambuci no dia 2 de abril. Passou por Paranapiacaba, distrito de Santo André, na Grande São Paulo, e depois passou por Mogi das Cruzes, Rio Grande da Serra, Bertioga, Salesópolis, Ribeirão Pires, Natividade da Serra, Cachoeirinha, São Lourenço da Serra e Paraibuna. No meio do caminho, nova parada na capital, no bairro de Parelheiros, na zona sul.

Segundo o designer Gilberto Amatuzzi, um dos organizadores, o evento espera também conscientizar as pessoas a respeito do desaparecimento da fruta. É que os pés são mais comuns em área de Mata Atlântica, que vem sendo desmatada em larga escala. No caso do bairro do Cambuci, por exemplo, a oferta está muito longe de ser comparada à formação original que deu nome ao local. No entanto, os pés ainda podem ser encontrados: “Existem muitos e a produção gera empregos na região”, garante Amatuzzi. Boa parte deles está na região do Largo do Cambuci, o coração do bairro. O restaurante Javali, na Rua Luiz Gama, oferece suco e sorvete feito a partir do cambuci.

Bebidas à base de cambuci fazem sucesso (Foto: Divulgação)

Dos produtos expostos na rota, a cachaça é a que faz mais sucesso. “É também a mais tradicional das produções feitas a partir da fruta”, explica Amatuzzi. “A receita vem da época dos tropeiros”. Cítrica e adocicada, a fruta costuma fazer sucesso pelo sabor e pelo aroma. Além da cachaça, patês, antepastos, licores, molhos e bombons também fazem sucesso.

 

Share Button