Share Button

As pizzas da Speranza, fundada em 1958 pela família italiana Tarallo, dispensam apresentações, pois já são um clássico da cidade. O tortano, pão de linguiça napolitano, é outra tradição que chegou a São Paulo pelas mãos da família. Hoje virou entrada obrigatória em todas as pizzarias. Mas, nem que você tenha que pular a fatia de tortano ou fazer muito esforço para comer uma fatia de pizza a menos, não deixe de guardar espaço para a sobremesa. A pastiera di grano, feita diariamente na filial de Moema, vale muito a pena. “Quem faz as nossas pastieras é uma antiga funcionária, que chegou a trabalhar com minha avó, dona Speranza”, conta Tito Tarallo, neto dos fundadores e quem cuida hoje dos negócios. “É uma receita de família, que fazemos questão de preservar”.

Clássico italiano, a sobremesa é feita com ricota e grãos. Desde a fundação, a Speranza prepara a versão do sul da Itália, com massa fina e recheio mais molhado. Uma delícia. Entra naquela categoria das “sobremesas que não divido, cada um pede a sua”. Pouco doce, bem leve, ideal para acompanhar o café. No passado, a pastiera di grano era o doce símbolo da Páscoa italiana. Hoje ela é consumida o ano inteiro. Faz muito sucesso também no Natal. Um dos maiores divulgadores da pastiera da Speranza foi o compositor Adoniran Barbosa, habitué da matriz, na Rua Treze de Maio, no Bixiga.

A Speranza desenvolveu até uma caixa para quem quiser levar a torta inteira. É uma ótima ideia de presente. São vendidas de 60 a 80 pastieras inteiras por semana nas duas unidades da Speranza. O preço do pedaço na pizzaria é de R$ 17,90. A torta inteira, com dez fatias, custa R$ 110.

Se houver uma pastiera di grano melhor que esta em São Paulo, por favor, me avise aqui nos comentários. Por enquanto, para mim, ela é imbatível!

Share Button