Share Button

A rede portuguesa de hamburguerias H3 chega nos próximos dias a São Paulo. Vai abrir a primeira loja no MorumbiShopping. Depois será a vez do Shopping Vila Olímpia. O diferencial da rede de “not so fast food” é servir hambúrgueres grelhados altos (200 gramas de fraldinha temperada com sal marinho) no prato. Em Portugal, o cliente recebe seu prato em apenas 30 segundos. Os hambúrgueres vão sendo preparados e ficam aquecidos numa espécie de banho-maria para que sejam servidos quentes. Eles são servidos ao ponto ou bem passado.

H3hamburguer

 

A H3 – H de hambúguer e 3 pelo número de sócios – foi criada em julho de 2007 pelo publicitário Albano Homem de Melo, 43 anos, ex-presidente e ex-diretor de criação da Young&Rubicam; o comerciante Miguel Van Uden, 39 anos; e o advogado Antonio Cunha Araújo, 39 anos. Os três montaram em 2004 um restaurante chamado Café 3, na Avenida Liberdade, em Lisboa. Logo perceberam que eram os hambúrgueres que faziam mais sucesso. O Café 3 fechou. Os sócios se dedicam totalmente ao negócio dos hambúrgueres, que não pára de crescer. Aos três se juntou também o chef Victor Lourenço, de 39 anos. Em quatro anos, a H3 já conta com 37 pontos em Portugal. Tem também uma loja em Madri (Espanha) e outra em Varsóvia (Polônia). Por que a Polônia? Os donos perceberam que a Polônia tem duas vezes mais lojas do McDonald’s do que Portugal. Portanto, um mercado que gosta de hambúrgueres e que merecia ser explorado. O Brasil é o quarto país a receber a H3 – embora a cidade de Belém do Pará tenha uma hamburgueria chamada H3 Burguer, que não tem nada a ver com a franquia internacional.

h3acavalo

Os hambúrgueres do H3 podem receber dois de três acompanhamentos: arroz, salada ou batatas fritas no estilo português (cortadas em formato redondo). O hambúrguer básico custará em São Paulo R$ 13,95. As outras opções, cobertas por molhos e outros ingredientes, como champions e ovo frito, sairão entre R$ 16,95 e R$ 19,95. Também recebem dois acompanhamentos.

A sobremesa que é o carro-chefe da H3 em Portugal é o petit gatêau de chocolate com sorvete. Por aqui só haverá um tipo de sobremesa: sorvete com três tipos de caldas. Além de refrigerantes e cerveja, a casa também ficou conhecida por sua limonada e por seu chá gelado.

As lojas funcionam basicamente em shoppings centers. Em fevereiro deste ano, a H3 abriu sua primeira loja de rua, no Chiado, em Lisboa. O cardápio recebeu entradas, saladas e outras sobremesas – como era o antigo Café 3. Mas, por enquanto, esse modelo de lojas de rua não virá ao Brasil.

Atualizado em 26/12/11 – Três dias antes do Natal, fui conhecer a H3 do Shopping Vila Olímpia. Apesar de ser hora do almoço e o shopping estar abarrotado de gente, o movimento ainda era pequeno. Em comparação com a matriz portuguesa, o cardápio sofreu algumas alterações. O hambúrguer com cobertura de foie gras não veio para o Brasil. No H3 Benedict, o espinafre foi substituído pelo bacon. A filial paulistana ganhou ainda duas novas opções: H3 Milano (coberto com molho de tomate) e o H3 Mediterrâneo (rúcula, tomate seco e lascas de parmesão).

Experimentei o H3 Champignons e escolhi como acompanhamento salada e batatas às rodelas (batata chips um pouco mais grossa). A atendente perguntou se eu queria o hambúrguer ao ponto ou bem passado. Pedi ao ponto, mas, como já ficam prontos, ele veio passado demais para o meu gosto. A salada não tem nada demais, enquanto as batatas são muito interessantes. O molho de champignon não me entusiasmou. Cheguei a pensar se não teria valido mais a pena ter pedido um hambúrguer só grelhado, que custava R$ 6 a menos.

Para a sobremesa, pedi o sorvete de iogurte, muito bom, acompanhado de calda (chocolate, maracujá ou frutas vermelhas) e farofa de biscoito amanteigado. Bem, achei rudimentar demais a forma de colocar a calda. A atendente tira um pote de vidro da geladeira e apanha uma colher que fica naqueles recipientes com água suja que são comuns em sorveteria self-service. Em Portugal, a H3 serve vinho em taça. Aqui não. Uma refeição completa, com sobremesa e limonada, saiu por R$ 30. É preciso dar um desconto porque a rede está chegando agora ao Brasil e terá que se adaptar também à cultura local. O hambúrguer ainda está muito associado a lanche, e não a refeição. Será uma batalha difícil contra outras redes de fast-foods, que oferecem pratos com arroz, feijão e filé mignon pelos mesmos R$ 19.

Share Button