Share Button

Hoje é o dia da 87ª Corrida Internacional de São Silvestre. O idealizador da prova foi o jornalista Casper Líbero. Em 1924, ele assistiu a uma competição noturna em Paris na qual os atletas percorriam o trajeto portando tochas de fogo. Empolgado com a idéia, resolveu implementá-la no Brasil na virada do ano. A primeira corrida foi disputada à meia-noite do dia 31 de dezembro de 1924. Alfredo Gomes terminou na frente entre os 48 inscritos, com o tempo de 23min10s4/100. O percurso era de 8.800 metros. Na primeira edição, apenas moradores da cidade podiam participar. A prova foi aberta a todos os brasileiros alguns anos depois. Atualmente, os 25 mil participantes percorrem uma distância de 15 quilômetros.

Em 1945, corredores internacionais começaram a participar da prova. Primeiro os sul-americanos e, dois anos depois, todos os estrangeiros. A presença mais ilustre acabou sendo a do tcheco Emil Zátopek, que havia conquistado três medalhas de ouro nas Olimpíadas de 1952. Ele venceu a São Silvestre de 1953, quase um minuto na frente do segundo colocado. Passados 33 anos, o pernambucano José João da Silva quebrou a soberania estrangeira no pódio da corrida, vencendo em 1980 e novamente em 1985. Antes de se tornar atleta, José João chegou a trabalhar em São Paulo como entregador de pizzas na região da avenida Paulista e era conhecido pelos colegas como “Zé das Couves”. Depois dele, outros cinco brasileiros venceram a prova: João da Matta (1983), Ronaldo da Costa (1994), Emerson Iser Bem (1997), Marílson Gomes dos Santos (2003, 2005 e 2010) e Frank Caldeira (2006).

S

Edição de 2010 da Corrida Internacional de São Silvestre. (Foto: Epitacio Pessoa/AE)

Mas quem é o santo que dá nome ao evento? Silvestre I foi o 33º papa da história do Catolicismo. Nasceu em Roma, em 295, e foi papa entre 314 a 335.  Silvestre I iniciou sua vida como papa em um contexto de paz na Igreja Católica depois de 250 anos de agitação. Tinha a missão de organizar a vida da Igreja depois do decreto do imperador Constantino, que colocou fim à perseguição aos cristãos. “Os primeiros papas foram de uma importância muito grande porque foram do período em que a Igreja foi perseguida, e o papa Silvestre I marca o fim dessa perseguição”, destaca o padre Juarez de Castro, assessor de imprensa da Cúria Metropolitana de São Paulo. “Embora Constantino não tenha transformado o cristianismo em religião oficial, ele permitiu os cultos. O grande mérito desse papa foi aproveitar a paz na Igreja para que ela se estabelecesse.”

SãoSilvestre

O primeiro concílio ecumênico, o de Nicéia, em 325, foi realizado durante o papado de Silvestre. A divindade de Jesus Cristo foi definida durante esse encontro. Ele foi o papa que instituiu o domingo como dia santo. O padre Juarez lembra que, nesse período,  foram permitidas as construções das primeiras basílicas, a de São João de Latrão (localizada em Roma) e a de São Pedro (no Vaticano). O Papa morreu em 31 de dezembro de 335, razão pela qual a data se tornou o Dia de São Silvestre (depois de sua morte, Silvestre I foi canonizado santo pela Igreja e passou a ser referido como São Silvestre). É por isso que o evento esportivo que acontece no último dia de cada ano em São Paulo ganhou o nome de Corrida de São Silvestre.

Share Button