Share Button

Depois da publicação da reportagem “Fãs-clubes fazem boicote a show da banda de Elvis”, a produtora 2Share entrou em contato com o Blog do Curiocidade. Conversei pelo telefone ontem com Rafael Reisman, produtor da empresa responsável pelo show “Elvis in Concert”. Ele ataca todos os pontos levantados por Marcelo Neves, presidente do fã-clube Elvis Triunfal, e por outros fãs que se manifestaram nos comentários do blog. Pedi, então, que Rafael enviasse suas respostas por e-mail.

Quantos ingressos já foram vendidos para a turnê 2013?
Se somarmos vendas pela internet, empresas de turismo, e fãs-clubes, são perto de 3 500 [pelo telefone, Rafael me disse que foram 1 900 em São Paulo]. Esse numero é impressionante, pois estamos vendendo apenas desde sábado.

Fãs estão reclamando que houve um aumento abusivo dos preços de um ano para cá. A 2share, por sua vez, diz que são os mesmos preços de 2012. Quais são esses valores?
Estamos praticando valores iguais ou até mais baixos que em 2012. O valor da meia entrada do segundo piso chegou a custar R$150 no ano passado e agora está à venda por R$90. Aí eu pergunto: isso é o dobro, como foi informado na matéria? Acho que seria justo um pedido de desculpas pelo comentário. Nao é verdade o que foi dito. Não estamos com valores diferentes do ano passado. Falar que estamos com valor de meia igual à inteira do ano passado não é correto, não é verdadeiro.

A entrada de dois grandes patrocinadores não poderia baratear os ingressos?
Grandes patrocinadores não significam grandes valores. Esses patrocinadores são os mesmos do ano passado. Com um pouco de pesquisa, você teria percebido que eles participaram do evento no ano passado. Ou seja, não é esse o fator que infla o valor de um ingresso. Até por que o ingresso está igual ou menor que no ano passado. Marcelo, não me leve a mal, mas é um absurdo você ter publicado [“o evento está sendo bancado pelos gigantes Ourocap e Marabraz”]. Patrocinadores não bancam uma turnê. Eles ajudam a diminuir custos, pagar mídia ou cuidar de um gasto especifico. Nesse caso, o investimento deles somados chega a 15% dos custos milionários dessa tour. É preciso entender do mundo do show-business. Somos gratos a nossos patrocinadores, mas eles não pagam a conta toda. Isso sai quase que na totalidade do bolso do produtor.

Em algum momento, a 2share cogitou que venderia os ingressos por preço único e que não haveria meia-entrada?
Não. Temos ingressos em todas as categorias: inteira, meia e promocional para OuroCap. As pessoas devem escolher o ingresso adequado.Existem várias promoções disponíveis. Vale ler as regras no site da Ingressos Rápido antes de comprar.

Um dos chamarizes dessa turnê é que ela será a última da banda TCB. Este será mesmo o show de despedida da banda?
SIM. “Elvis in Concert” não retornará à America do Sul com essa formação. Pelo que fomos informados não existe nenhuma turnê sendo divulgada em nenhum lugar do mundo, além da nossa. Acho que essa era uma informação que só poderia ser dada por um canal oficial, e não por um fã-clube.

Por que o fã-clube Elvis Triunfal iniciou esse boicote contra a 2Share?
Não sei e não me importo. Se perderem muito tempo boicotando, correm o risco de assistir ao show do lado de fora do portão. Assim como no ano passado, acho que venderemos todos os ingressos disponíveis em São Paulo. Membros de minha equipe suspeitam que esse tal de Marcelo [Neves, presidente do Elvis Triunfal] esteja tentando aparecer. Por várias vezes, ele tentou fazer parte de nossa equipe de especialistas e consultores sobre Elvis e não foi aceito. Quis conhecer pessoalmente a Priscilla Presley, mas nossa equipe não deu esse acesso sem que ele efetivasse o devido pagamento. Soube que ele deu uma de penetra em um de nossos encontros e pediram para ele se retirar. Acho que deve estar machucado, mas essa não foi nossa intenção. Existem alguns fãs que querem as coisas de graça, mas isso não é possível. Existem outras dezenas de fãs que fazem questão de pagar pelo ingressos e sempre fazem questão de agradecer a 2Share. Acho que esse sujeito deveria ter ido assistir ao show em Londres. Teria gasto “menos” que os 90 reais cobrados aqui em São Paulo – algo em torno de 10 mil reais.

Por sugestão do próprio Rafael, o Blog do Curiocidade entrevistou também Walteir Terciani, presidente do fã-clube Gang Elvis, que reúne 1.200 membros em São Paulo. Terciani discorda do boicote organizado pelos integrantes do Elvis Triunfal. “Sou contra qualquer tipo de boicote relacionado a Elvis”, posiciona-se. Terciani concorda que os ingressos estão caros, mas se contenta em investir no setor mais barato para conseguir ver o show da banda. “Já fui a diversas edições de Elvis in Concert pelo mundo, mas é diferente a sensação de assistir ao espetáculo no Brasil”, conta Walteir. O fã de carteirinha diz ainda que desconhece o investimento necessário para trazer a banda ao País, mas que acredita que o processo não seja barato. “Infelizmente, um show dessa dimensão não é acessível a todo o público. Como tudo no Brasil, as pessoas terão que se adaptar à sua condição”, conclui.

Em nossa conversa telefônica, pedi que Rafael enviasse algo que mostrasse os preços cobrados do ano passado. Ele mandou um link de uma reportagem publicada no Portal UOL. “Era fácil comparar. Bastaria procurar no Google. Está lá pra quem quiser ver”, me escreveu.  Bem, justamente fazendo uma pesquisa pela internet, descobri outros valores, como os divulgados pela revista Rolling Stone em maio de 2012. Sobre as informações desencontradas, Rafael me respondeu o seguinte:

– Existiram promoções especificas para patrocinadores com preços diferentes em momentos diferentes. Mas os valores que lhe enviei são os OFICIAIS. Só esses valores poderiam ter sido utilizados por vocês. Repito que, em minha opinião, essa matéria só deveria ter sido publicada depois que você conversasse com a 2Share, Com um pouco de empenho, você teria achado a 2Share via Facebook, Ingresso Rápido, Ginásio do Ibirapuera, guia telefônico. Temos que ter cuidado com o atitudes que podem gerar prejuízos morais e financeiros a terceiros.

Perguntei, então, por que a 2Share não disponibiliza um número de telefone no site ou na página de Facebook. Afinal, esse seria o caminho natural que um cliente tomaria para falar com a empresa. Rafael respondeu: “Porque isso aqui iria virar um inferno. A Ingresso Rápido, que faz esse trabalho por nós, tem telefone”. Expliquei que o site tem um e-mail de contato e que o pedido de entrevista foi feito pelo único canal disponível de contato. “Você sabe quantos e-mails a gente recebe aqui por dia?”, respondeu Rafael.

Atualização:  Marcelo Neves, presidente do fã-clube Elvis Triunfal, publicou em seu site uma resposta para a entrevista de Rafael Reisman.

(com colaboração de Júlia Bezerra)

 

Share Button