Share Button

Lucas Faria ingressou na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco em 2005. Foi motivo de orgulho para toda a família. Data vênia, seu sonho mesmo era viver de música. Essa paixão começou a ganhar forma dois anos antes de ele se formar, ao conhecer outros dois alunos, Arthur Doca e Mateus Basso. Em 2009, Arthur iniciou a gravação do disco-solo “Circular” (o trabalho só será lançado este ano), enquanto Lucas, Arthur e Chico Ennes, outro “franciscano”, criaram a banda de música autoral brasileira “ Chá de Marimbondo”.

Chá de Marimbondo - créditos Mateus Basso

Chá de Marimbondo faz show no Porão em 2013, com Lucas Faria ao violão e Arthur Doca na bateria, que, junto com Flôr Dominguez, compõem o núcleo da Viajeira Produções (foto: Mateus Basso/divulgação)

Para divulgar esses trabalhos, os quatro criaram em 2010 o projeto “Vozes do Porão”, usando um porão da faculdade como sala de espetáculo. “Tínhamos vontade de fazer do porão o ‘nosso porão’”, a faculdade era nossa segunda casa”, afirma Lucas. “Queríamos transformá-lo em um espaço cultural representativo na cidade de São Paulo”. O local já possuía palco e equipamentos de som. Agora há também espaço para o teatro, a poesia, a fotografia, o cinema e a dança.

As apresentações acontecem sempre à noite. Em média, o porão recebe 150 pessoas para assistir a uma atração independente e a uma já conhecida do público, num sistema de revezamento que tem dado muito certo. “A promoção de novos talentos já é uma das bases do projeto”, explica Lucas. “Mas não há restrições para essa possibilidade, organizamos as noites com muita liberdade”. Para ele, a noite mais marcante foi a do show de Lô Borges, em junho de 2013. “Os fãs puderam assistir ao show bem de perto, sem nenhuma separação entre público e artista. Era lágrima que não acabava mais”. Lô Borges fará agora shows produzidos pela Viajeira nos dias 5, 6 e 7 de setembro no Sesc Bom Retiro.

Lô Borges e guitarrista Henrique Mateus - créditos Mateus Basso

Lô Borges e guitarrista Henrique Mateus em apresentação no Porão (foto: Mateus Basso/divulgação)

Com o crescimento desses projetos, os amigos sentiram a necessidade de criar uma produtora cultural para tomar conta de tudo. Foi assim que nasceu a Viajeira em 2012. Lucas deixou o escritório de advocacia em que trabalhava e divide as obrigações do dia-a-dia com Arthur Doca e a dançarina Flôr Dominguez. No começo, o propósito era disponibilizar uma estrutura de produção apenas para os projetos pessoais deles.  “Começamos a perceber que a gestão desses trabalhos próprios levaria um tempo”, conta Lucas. “Então percebemos que teríamos que nos dedicar à produção de outros artistas”. Um dos maiores contratantes é a rede Sesc. A Viajeira já produziu shows de Dona Inah, Alaíde Costa, Di Melo, Encontro das Velhas Guardas e Claudette Soares, entre outros. “Hoje em dia, o principal objetivo da Viajeira é divulgar novos valores da música brasileira. Ainda existe espaço no mercado para uma produção com qualidade artística e importância cultural”.

A agenda pode ser conferida no site ou na página do Facebook. O ingresso varia de R$15 a R$30. A próxima apresentação acontecerá no dia 10 de outubro, com a banda Chá de Marimbondo, Arthur Doca e convidados, celebrando a volta do projeto “Vozes do Porão”, que ficou suspenso por cerca de dois anos.

Share Button