Share Button

A edição desta semana do Curiocidade no caderno “Divirta-se” traz uma reportagem sobre as sobremesas com preços nada doces do Valrhona Chocolat et Lounge. Se você vendida por quilo, uma tortinha à base de amêndoas, coberta com ganache de chocolate amargo,  importado de Madagascar, custaria R$ 385.  Os doces dito sofisticados estão com os preços nas alturas, muitos beirando a casa dos R$ 30. E, assim como na Valrhona, cada restaurante tem sua justificativa para cobrar tão alto na hora da sobremesa.

Os mesmos chocolates da Valrhona encarecem o menu de sobremesas do restaurante Emiliano. A opção mais cara é uma interpretação de chocolates da marca. Sai por R$ 32, com seis pequenas porções,  que vão do mais doce (mousse de chocolate branco) ao mais amargo (petit gateau feito com chocolate 72% cacau).  Outras sobremesas da casa são tortino quente de banana com sorvete de mel de abelha da Amazônia e coulis de açaí (R$ 28) e brioche tostado com amêndoas, mascarpone, pêssego e laranja (R$ 26). Há também o contraste de chocolate Caramelia e Macaé com sorvete de cumaru (R$ 28), que leva caramelo salgado na receita. “Os preços não poderiam ser mais baixos por causa da qualidade da matéria-prima utilizada”, defende o chef  Arnor Porto.  “É tudo mundo elaborado”.

Outro restaurante com preços salgados para as sobremesas é o La Mar. A degustação de sobremesas peruanas (picarones, arroz com leche e suspiro limeño), a mais pedida da casa, custa R$ 28. “É um preço justíssimo”, afirma o chef Fabio Barbosa. “Todos os chefs precisaram viajar para o Peru para aprender as receitas”.  A casa também serve a degustação de lúcuma (R$ 26), com tiramisú, suspiro limeño e sorvete da fruta.

Degustação-de-lúcuma

Degustação de lúcuma do La Mar. (Foto: Henrique Peron / Divulgação)

Já no Clos de Tapas, a sobremesa mais sofisticada é o Gold Label & Chocolate, harmonizado com uísque. O quitute, que sai por R$ 29, é feito com financier de amêndoas, sorvete de maçã assada, terra de ervas, gelatina de Gold Label, chocolate Valrhona, farofa de café e crocante de maçã. A chef Ligia Karazawa explica que o que deixa a sobremesa mais cara é o uísque. O cliente pode pedir a sobremesa sem esse ingrediente, diminuindo o preço para R$ 17. “Mas os clientes preferem a com uísque”, afirma Lígia. “É uma hamonização diferente, fora do comum. Pelo fato de ser incomum, as pessoas estão mais abertas a experimentar”.

Serviço:
Valrhona Chocolat, Al. Lorena, 1.818, Jardim Paulista, 3068-8899;
Emiliano, Rua Oscar Freire, 384, Jardim Paulista, 3068-4390;
La Mar, R. Tabapuã, 1.410, Itaim Bibi, 3073-1213.
Clos de Tapas, Rua Domingos Fernandes, 548, Moema, 3045-2291

(Com colaboração de Karina Trevizan)

Share Button