Share Button

Na esquina das ruas Joaquim Antunes e Sampaio Vidal, em Pinheiros, uma banca de jornal exibe uma vending machine incomum. Não por ter mecanismos diferentes, já que é bem semelhante às maquinas que vendem chicletes e outros doces a partir da inserção de moedas. O inusitado é o produto distribuído: a máquina vende bolinhas de barro com sementes de plantas.

A ideia é da Florestando, empresa criada pelos irmãos paulistanos Marcelo e Lenah Barbosa para produzir e vender distribuir sementes de árvores nativas do Brasil. A sede fica na cidade de Lupércio, a 428 km da capital. Os irmãos conheceram pela internet uma técnica chamada seed ball (bola de sementes), inventada pelo japonês Masanobu Fukuoka. O objeto criado é uma esfera de barro que contém sementes e compostos orgânicos. Ao ser arremessada ao solo, a estrutura protege as sementes até que chova. Então, a esfera racha e o vegetal pode crescer livremente. O tempo de germinação é de 30 a 45 dias.

Batizadas de Bolota Viva, as bolas de sementes só são vendidas por enquanto na banca J. Paulistano. Lenah, responsável pelo marketing da empresa, afirma que o produto ainda está em fase de testes. “Por enquanto, estamos muito contentes com o resultado”, conta. “As crianças adoram as bolotas”.

Hoje, a semente vendida ao lado da banca é de Cariniana estrellensis, ou jequitibá-branco, árvore que está na lista de espécies ameaçadas do Estado de São Paulo. Lenah está testando novos tipos de semente para suas seed balls. “Queremos variar as sementes, usar flores e outros tipos de materiais”, diz. Vendidas a R$ 1, as bolotas devem ficar ao lado da banca de Pinheiros pelo menos até o fim da Páscoa. Banca Jd. Paulistano. R. Joaquim Antunes, 221A, Pinheiros, 3063-5148.

Share Button