Share Button

A cidade de São Paulo completa nesta quinta-feira 464 anos. Para comemorar, resolvemos hastear bandeiras de vários bairros da cidade. Na verdade, são poucos que possuem bandeiras oficiais. Não é obrigatório que os bairros tenham bandeiras oficiais – por isso tem gente até que se dispõe a desenhar bandeiras para todos os bairros da cidade -, de modo que a regulamentação também não é necessária. Em geral, porém, elas são publicadas no Diário Oficial da cidade. Chama atenção o caso do M’Boi Mirim, cuja bandeira simplesmente se perdeu. Em 2013, a subprefeitura (hoje prefeitura regional) já alegava em reportagem da Folha de S. Paulo não ter nenhuma imagem do símbolo. A única informação era a de que a bandeira seria marrom com uma cobra ao centro (M’Boi Mirim significa “rio das cobras pequenas”). Nenhum registro do pavilhão foi encontrado até hoje. Outros bairros, porém, têm seus símbolos bem definidos em suas bandeiras.

Água Rasa

A bandeira foi desenhada por Durval Carlos de Britto, morador do bairro, em 2005 e oficializada em 2007. O verde dos louros representa as matas; o amarelo das inscrições e da rosa dos ventos, a prosperidade; o azul da borda o céu e a esperança; o branco, a paz; o marrom nos desenhos, a terra fértil. A rosa dos ventos traz as letras SP e ZL para reafirmar a localização do bairro na zona Leste de São Paulo. As figuras que aparecem no brasão são um tropeiro e um padre chamado Diogo Feijó. Eles e os animais caminham nas águas rasas que batizaram o bairro. Ao fundo surge o Sítio Capão Grande, também chamado de Chácara Paraíso, símbolo do bairro. Chama atenção a faixa na parte inferior com abreviações dos locais de onde vieram os imigrantes nordestinos, húngaros, italianos, espanhóis e portugueses.

Ipiranga

A bandeira do Ipiranga nasceu em 1984 no mês de setembro como parte das comemorações pelo aniversário do bairro. Foram escolhidas as cores da bandeira do estado de São Paulo (preto, vermelho e branco) e a pira da Independência, marca maior do bairro. Afinal, foi ali que D. Pedro I proclamou o Brasil independente de Portugal. O Ipiranga é um bairro da zona sul que no passado já abrigou um grande número de indústrias. Hoje, seu maior cartão postal é o Museu do Ipiranga, complementado pelo Parque da Independência e pelo Monumento à Independência.

Itaim Bibi

A faixa azul na parte inferior é uma homenagem ao Rio Pinheiros, que passa pelo bairro; a faixa verdade simboliza o orgulho dos moradores pela área verde do Itaim Bibi; o branco, ao centro, não tem esse desenho irregular à toa: são as casas e prédios que completam o cenário da região. O mais curioso: embora oficializada apenas em 2009, a bandeira foi desenhada por Bernardo Mulayert Tinoco em 1990, quando ele tinha só 11 anos. Tinoco venceu um concurso feito nas escolas por iniciativa da loja de chocolates Kopenhagen. Bairro nobre da zona oeste, o Itaim se chama “Bibi” por causa do Seu Bibi, o nobre herdeiro de uma chácara nessa região.

Itaim Paulista

O azul da bandeira representa a harmonia, enquanto o vermelho destaca a bravura dos trabalhadores que derramaram sangue na construção da estrada São Paulo-Rio, também conhecida como SP-66, que cortava o local. O índio guarani que aparece junto da frase “trabalho e prosperidade” remete aos primeiros povos que habitaram a região no extremo da zona Leste da cidade. A bandeira foi criada em 2007 e oficializada em 2012.

Itaquera

É uma das mais novas bandeiras da cidade – foi oficializada em 2016. Um dos maiores bairros de São Paulo, Itaquera, na zona Leste, abrigou a abertura da Copa do Mundo de 2014. A bandeira é formada por triângulos verdes e amarelos que remetem à bandeira nacional. Ao centro, um losango branco simboliza prosperidade e paz. Cada ponta desse losango tem uma estrela azul que homenageia os quatro distritos que formam o bairro. O brasão de armas, ao centro, é resultado de uma extensa pesquisa que resgatou símbolos dos primórdios do bairro. Em 1644, a Coroa Portuguesa cedeu as terras que hoje formam Itaquera para o português Antônio Cunha de Abreu, que lutou na guerra pela expulsão dos holandeses. Também existem referências a Francisco Rodrigues Seckler, primeiro prefeito regional da história de Itaquera.

Jardim da Saúde

O Jardim da Saúde é um bairro nobre e planejado no centro-sul da cidade. A bandeira foi idealizada pelo designer Eduardo Dias e busca chamar atenção para a necessidade de preservação da natureza e também valorizar a qualidade de vida na região. O verde exalta as ruas arborizadas e iluminadas pelo sol (daí o amarelo em degradê). Como o sol é o mesmo para todas as nações, o degradê amarelo com os raios que incidem do astro-rei homenageia também os imigrantes vindos de todas as partes do mundo. O pássaro verde simboliza a maritaca e o periquito, aves muito comuns na região.

Jaçanã e Tremembé

A peculiaridade dessa bandeira é representar dois bairros de uma vez. No topo está uma faixa azul dedicada ao Jaçanã e no rodapé uma faixa verde para o Tremembé. A iniciativa partiu do então subprefeito (a subprefeitura, hoje prefeitura regional, também é compartilhada) Aníbal de Freitas Filho. De quebra ele adereçou a faixa central, branca, com um trem para fazer referência à música “Trem das Onze”, sucesso na voz de Adoniran Barbosa.

Mooca

A bandeira e o brasão desse que é um dos mais emblemáticos bairros da zona Leste foi desenvolvida pelo heraldista (ou seja, alguém que estuda bandeiras e brasões) Lauro Ribeiro Escobar, também criador da bandeira da cidade de São Paulo. O brasão traz um índio e um imigrante (inspirado no industrial e dono de uma cantina Carlos Romanato) para contar a história da ocupação do bairro: os índios foram os primeiros a ocuparem a área que mais tarde seria tomada por indústrias. A ponte é a do rio Tamanduateí, portão de entrada para a Mooca, e representa a união; a cavalo, representa o hipódromo e simboliza intrepidez; a roda dentada é uma referência à indústria; a cor prata vem para demonstrar a prosperidade do bairro; o rio é uma lembrança do Rio Tamanduateí; a coroa, no topo do brasão, foi considerada a representação mais adequada para o patrimônio do bairro e vem enfeitada pelo escudo das armas da cidade. O brasão é redondo como a eternidade (forma geométrica sem início ou fim), enquanto a cruz branca remete à fé. O retângulo foi pintado de azul por uma série de significados:  justiça, formosura, doçura, nobreza, perseverança, firmeza, incorruptível, glória, virtude, dignidade, zelo e lealdade.

Parelheiros

Tem uma bandeira bastante simples: dois cavalos – símbolo de agilidade e força – lado a lado, num fundo branco. O verde, exaltando o verde deste bairro da zona Sul da cidade, que tem muitas áreas de preservação ambiental; o azul, para exaltar o potencial hídrico da região que abriga as represas Guarapiranga e Billings.

Penha

Tem uma das bandeiras menos rebuscadas de todas. O retângulo branco traz ao centro uma flâmula vermelha onde está a imagem de Nossa Senhora da Penha de França, considerada uma das padroeiras da cidade de São Paulo. Ocupada desde 1682, a Penha é um dos bairros mais antigos da zona Leste.

São Mateus

A bandeira, na verdade, faz parte de um movimento iniciado no fim dos anos 1980 para decretar a emancipação do bairro. Por isso a sigla “CSM”, que quer dizer Cidade de São Mateus. As oito listras azuis projetam a emancipação da mulher – a ideia era que o bairro se transformasse em município em um dia 8 de março. Já a corrente dourada simboliza a riqueza do comércio local. Nos últimos anos, o movimento separatista do bairro da zona Leste vem perdendo força.

São Miguel Paulista

É uma bandeira relativamente recente e é bem parecida com a do Itaim Paulista: foi desenhada em 2008 e oficializada em 2011 e busca valorizar a identidade deste bairro da zona Leste. O lado azul da bandeira é uma referência ao Rio Tietê, que foi fundamental para os primeiros moradores como rota de locomoção, enquanto o lado vermelho recorda o esforço dos habitantes ao longo da história. Já a faixa branca, ao centro, manifesta o desejo de paz. Ao centro surge uma forma geométrica amarela. Amarela porque o bairro fica no extremo Leste de São Paulo e, portanto, é um dos primeiros a ver o sol. Dentro dessa forma geométrica aparecem uma índia para exaltar a força feminina e os povos indígenas que povoaram o local; um jesuíta, para recordar o processo de catequização; e um nordestino, que traz a força de trabalho para o bairro, sonhando com um futuro melhor. No topo surge a Capela de São Miguel Arcanjo, maior símbolo de São Miguel Paulista. Abaixo de todos esses símbolos está um par de asas verdes, representando esperança.

Tatuapé

Oficializada em 2003, a bandeira do Tatuapé também foi desenhada por um estudante. Cauê Domingos Silva procurou destacar elementos importantes da história do bairro e os colocou sobre o desenho do mapa do Tatuapé. O facão faz referência aos bandeirantes que desbravam o local; a enxada, aos imigrantes que trabalharam em plantações na região; como a maior parte do cultivo era de uva, uma taça de vinho completa o desenho, que traz ainda o ano de fundação do bairro: 1668. Um dos mais conhecidos bairros da zona Leste de São Paulo, o Tatuapé já foi sede de fábricas de marcas importantes como a Itautec e a Souza Cruz.

Vila Mariana

É mais do que uma bandeira de um bairro: é a bandeira de uma República! De tão apaixonados pelo bairro, alguns moradores criaram em 1999 a República da Vila Mariana e fizeram um concurso para escolher a bandeira. De 194 desenhos, o que mais agradou foi o da estudante Gabriela Mota Pinto Alves, então com 12 anos. Ela dividiu a bandeira em quadrados vermelhos e amarelos cortados por duas faixas brancas perpendiculares. Ao centro, um círculo traz símbolos do bairro como os prédios, as árvores, o Metrô e o Obelisco do Ibirapuera. A bandeira foi hasteada pela primeira vez em 25 de outubro de 2000. Geograficamente na zona Sul, mas bastante próximo da região central cidade, o bairro é considerado nobre, com uma grande oferta de escolas tradicionais, hospitais e shoppings de alto padrão.

Vila Prudente

Criada em 2007, a bandeira da Vila Prudente é simples: tem faixas em branco, vermelho, verde e amarelo para simbolizar a mistura entre o Brasil e a Itália, de onde vieram a maior parte dos imigrantes do bairro. Além disso, a bandeira traz também o Obelisco da Vila Prudente, um dos maiores símbolos do bairro. A Vila Prudente fica localizada na zona Leste e cresceu bastante depois da inauguração da estação de Metrô homônima em 2010.

Share Button