Share Button

O Hospital São Luiz, que tem uma das maternidades mais concorridas da cidade, realiza entre 20 e 30 partos todos os dias. Ontem, o São Luiz registrou apenas oito.  É que as mães preferem dar à luz em outros dias, evitando o dia 29 de fevereiro. “Geralmente, as cesáreas são marcadas para o dia 1º de março”, revela a assessoria de imprensa do hospital. “A mesma coisa acontece com bebês que nascem perto de alguma sexta-feira 13”.

A jornalista Adriana Mampin, nascida no dia que só existe em anos bissextos, acha a atitude imprópria: “O bebê tem que nascer no momento mais adequado para vir ao mundo, não em uma data específica”, reclama. Com 36 anos, ontem ela comemorou seu aniversário no dia certo pela oitava vez – nos anos com 365 dias, a festa acontece em 28 de fevereiro. Adriana diz que não costuma ter problemas por nascer na data. “Só me irrita um pouco a mania de redes sociais, como o Facebook, de mudar minha data de aniversário para 28 de fevereiro”, afirma.

O Blog do Curiocidade fez um levantamento em outras maternidades paulistanas. A Cruz Azul, no Cambuci, teve dez partos na quarta-feira. Na Maternidade Santa Helena, o número foi quase igual: 11 bebês. O Hospital da Luz, em seus dois endereços, somou nove partos. A Maternidade Santa Catarina contabilizou  três.  O Hospital San Paolo, em Santana, registrou ontem um parto. A assessoria de imprensa do hospital chegou a enviar um release com a informação do nascimento do bebê Heitor Sousa Amaral Silva. Heitor nasceu com problemas cardíacos e deve passar por cirurgia no próximo sábado, mas seu quadro é estável.

Share Button