Share Button

Os docinhos finos do Atelier Mariza Doces figuram há anos na lista dos melhores de São Paulo. Só que, para saboreá-los, era preciso ficar torcendo para ser convidado de um aniversário ou de um casamento em que eles fossem servidos. Ou entrar de bicão. Pois nossos problemas terminaram – e esta é uma dica quase secreta de São Paulo. Agora basta tocar a campainha da loja, no bairro de Pinheiros, e entrar. Há um pequeno balcão com docinhos que podem ser degustados na hora ou que podem ser levados para casa ou para presente.

644365_517637651604126_417727652_n

A ideia foi um pedido dos próprios clientes. “Toda vez que fechávamos uma festa ou um casamento, o aniversariante ou os noivos pediam para levar uma caixinha com uma amostra de docinhos”, conta Angela Pereira, uma das quatro sócias. Foi por isso que elas resolveram deixar alguns sempre expostos para venda. O cardápio do Atelier Mariza Doces tem cerca de 100 tipos de docinhos, mas apenas 10 ou 12 tipos costumam estar presentes no balcão. Os destaques são o camafeu de nozes, a trouxinha de coco, o bombom crocante, o brigadeiro, o bem casado e, mais pedido, o cuore, feito de doce de leite bem suave e com uma casquinha crocante de waffle em formato de coração. “Se o cliente quiser algum docinho que não esteja no balcão, nós vamos até a cozinha verificar se ele pode ser feito na hora”, diz Angela. Cada doce custa R$ 4,50 e há diferentes tipos de embalagens, que levam de um até 50 deles. A loja oferece ainda caixas decoradas para presente e datas festivas.

72969_516514571716434_1383498077_n

A fundadora do ateliê foi Marisa Sá Fortes Chuari, que fazia doces para pequenas festas de casamento, com a ajuda da irmã, Terezinha Hirsh Pereira. As receitas exclusivas logo conquistaram famílias da alta sociedade paulistana. Outro segredo era a maneira como os doces ficavam expostos nas festas, em lindas travessas de prata. Marisa criou as primeiras mesas de doces em São Paulo. Em 1963, Marisa e Terezinha, já conhecidas, finalmente abriram o ateliê.

1383736_642476899120200_441599002_n

O nome Marisa teve que ser grafado com a letra Z para não conflitar com o registro da marca da loja de roupas femininas Marisa. No início, todo o trabalho era feito pelas irmãs, a mãe delas, e duas ajudantes. Terezinha faleceu em 1970 e Marisa continuou com a produção e trabalhou até os últimos dias de sua vida. A mineira de Barbacena morreu em abril de 2010, aos 79 anos. Marisa foi casada por 58 anos com Alberto Chuairi, o “Turcão”, zagueiro do Palmeiras e do São Paulo nos anos 1940 e 1950. Turcão faleceu em 2013, aos 86 anos. O Atelier Mariza Doces é tocado pelas filhas Silvia, Marcia e Sandra, e pela sobrinha Angela. Hoje, a fábrica conta com 40 funcionários.

1505330_711966648837891_363633527_n

O curioso é que o balcão de docinhos não só matou a vontade de muita gente como salvou até alguns casamentos. “Já aconteceu de, no próprio dia da festa de casamento, a empresa contratada pelos noivos não entregar os doces”, lembra Angela. “A noiva apareceu desesperada aqui na loja e comprou todos os docinhos que estavam no balcão para servir na festa”. Sorte dos convidados!

Atelier Mariza Doces
Rua Padre Garcia Velho, 56, Pinheiros
Tel. 3815-6699
Seg. a sex., das 9h às 17h; e sáb., das 9h às 14h.

Share Button