Share Button

O Ateliê de Máscaras, especializado na venda e na locação de máscaras venezianas, mudou-se  há três meses para a rua Oscar Freire, em Pinheiros. A loja já existe há 25 anos, e ficava antes na Avenida Engenheiro Caetano Álvares. A proprietária é a artista plástica Regina Maria Martini Oliveira, 52 anos, que teve a ideia depois de fazer uma viagem para Veneza, na Itália. “Fiz um curso em uma loja de máscaras, voltei para São Paulo e comecei a pesquisar”, conta. Começou produzindo apenas máscaras para decoração, e depois passou a fazer peças para figurino. Regina importa alguns modelos de Veneza, e outros são feitos por ela com a ajuda de sua filha, a designer Ariane, 27 anos,  sócia do Ateliê.

M

São cerca de 400 modelos diferentes, com preços que variam entre R$ 3,90 e R$ 1.500. Há modelos com plumas, pérolas, tecido, metal e até cristais. Os principais clientes são  programas de televisão, peças de teatro e produções publicitárias. Entre as pessoas físicas, o maior movimento, acredite, não acontece na época do Carnaval. “No Carnaval, o pessoal gosta mais de roupas leves, fantasias”, diz Regina. “O meu forte é o baile de máscaras. Agosto, por exemplo, é uma época boa. No frio, as pessoas se animam para usar máscaras. Também temos muito movimento no final do ano, por causa das  festas corporativas”.

Regina conta que as máscaras também viraram moda nos casamentos. “Começaram a aparecer bailes de máscaras em algumas novelas e o pessoal começou a fazer”, explica. Os noivos escolhem máscaras de luxo combinando com seus trajes – a noiva pode levar pedaços do tecido do vestido para fazer a máscara. Os convidados recebem  máscaras mais simples.

O Ateliê também aluga uma gôndola veneziana de 3 metros que pode servir de enfeite ou até de mesa.

Serviço:

R. Oscar Freire, 2.220, Pinheiros, 2959-8666.

Share Button