Share Button

Mais de 30 mil empregados. Um patrimônio que, em valores atualizados, ultrapassaria os 20 bilhões de dólares. Pouco mais de duzentas fábricas, que produziam os mais diversos produtos: sabonetes, banha de porco, farinha de trigo. Este era o tamanho dos empreendimentos da Família Matarazzo. Everton Calício pesquisa a história do clã italiano desde os 15 anos de idade. Coleciona todo tipo de notícia ou objeto que remeta às indústrias construídas por estes ítalo-brasileiros no início do século 20. Estas peças serão expostas na exposição ‘Fé, Honra, Trabalho‘, que abre amanhã (6) no Museu Histórico Municipal de São Caetano do Sul.

A iniciativa é uma parceria da Fundação Pró-Memória, de Calício, e da Secretaria Municipal de Cultura (Secult) de São Caetano do Sul. Entre os artigos expostos, estão louças da Cerâmica Matarazzo, conhecidas como Louças Cláudia, latas da margarina Matarazzo, dos biscoitos Petybon e do óleo de semente de algodão Sol Levante.

O pesquisador contribuiu com azulejos, produtos e edições da Matarazzo em Revista, órgão de comunicação interna dos empreendimentos. Alguns dos itens foram recolhidos durante a demolição de outras fábricas da família, como a unidade de São Caetano, que produzia tecido-não-tecido (TNT) para embalar sabonetes e encerrou as atividades em 2008. Nos escombros, Calício encontrou relatórios de produção da fábrica. Em outra ocasião, quando uma fábrica do Belenzinho foi demolida, ele recuperou plantas da Mansão Matarazzo, que ficava na Avenida Paulista.

Faz 100 anos que as Indústrias Reunidas Fábricas Matarazzo começaram a se instalar em São Caetano. Desde 2008, não há mais resquícios do conglomerado industrial por lá – a fábrica de TNT foi transferida para a região de Ermelino Matarazzo. “Cada vez que some uma fábrica Matarazzo, a história deles se esvai”, lamenta Calício.

Serviço:
Fé, Honra, Trabalho
De 6/12/2012 a 2/3/2013
9h/17h (fecha sáb. e dom.)
Museu Histórico Municipal
R. Maximiliano Lorenzini, 122, Bairro Fundação, S. Caetano do Sul
4229-1988
Grátis

(Com colaboração de Míriam Castro e foto de acervo pessoal/Everton Calício)

Share Button