Share Button

Numa viagem à Itália, em 1971, o empresário Antonio Carlos de Toledo visitou a Costa Lígure, região do norte do país. Lá, conheceu a cidadela de Santa Margherita. Com construções do século 16 misturadas a paisagens marítimas, o destino turístico arrebatou o coração do paulistano. Na hora de escolher o nome para a pizzaria que estava abrindo, na Alameda Tietê e da Haddock Lobo, ele já tinha duas opções: Pizzarela e Di Antonio. Resolveu escrever “Margherita” também no guardanapo, que entregou ao amigo e artista plástico Gustavo Rosa. Rosa escolheu a última alternativa e desenhou ali mesmo a boneca que se tornaria símbolo da casa. “Ela tem cara de pizza”, mostra Toledo. “Meus amigos falam que eu sempre me dei bem com as redondas”. É que ele, apelidado de “Esquerda”, chegou a fazer parte do elenco profissional do São Paulo em 1963 e 1964, mas teve pouquíssimas oportunidades de entrar em campo. Há um quadro na pizzaria com recortes de jornais dessa época.

Margherita - Fachada

Fachada da pizzaria comandada pelo ex-jogador do São Paulo

Ele largou a carreira futebolística em 1965, quando entrou para a faculdade de Economia. “Achei que estudar seria melhor para mim”, diz ele. Na faculdade, alguns colegas o reconheciam dos jogos – mas a fama não se comparava à que alguns jogadores têm nos dias de hoje. Toledo não abandonou totalmente o futebol. Joga entre os veteranos do Clube Jundiaiense.

Toledo fica no Margherita seis dias por semana. Ele reserva apenas os sábados para ficar com amigos em seu sítio em Itupeva (SP).  Apesar de tantas tentações, ele só come pizza a cada 15 dias. “Qualquer prato, todos os dias, pode cansar”, afirma. “Não exagero porque não quero deixar de gostar de pizza nunca”. ” O empresário de 67 anos, que pesa 80 quilos, abre exceção só quando precisa provar novas coberturas. Não são muitas inclusões ao ano, já que Toledo pretende se ater a combinações mais usuais. “Dou escapadas em alguns sabores diferentes, mas tento ficar no tradicional”, explica. Um exemplo de ousadia é a pizza ‘Arigatô’, que combina shimeji e shitake. A lista de pizzas da Margherita cresceu de 18 opções, na época da inauguração, para 57 atualmente.

Serviço:
R. Haddock Lobo, 1.255, Jd. Paulista, 2714-3000

(Com colaboração de Míriam Castro)

Share Button