Share Button

Neto de italianos, o uruguaio Ivan Schiappacasse deixou, aos sete anos de idade, Montevidéu, para morar em Porto Alegre, na região Sul do Brasil.  No ano de 2009, trocou a cidade gaúcha por São Paulo. Veio montar a rotisseria Pastifício Primo. “Só uma cidade como São Paulo oferece condições para a fabricação de massas artesanais”, afirma Ivan. Além das massas, Ivan foi descobrindo oportunidades de lançar novos produtos. A novidade agora é o doce de tomate (R$ 9,90). Foi a primeira vez que vi esse doce em São Paulo. Ivan encontrou o caderno de receitas da mãe, dona Mirta, e fez uma pequena adaptação. Um dos principais ingredientes era o cravo. “Todo doce antigamente levava cravo para espantar as formigas”, conta Ivan. “Posso dizer que melhorei a receita da minha mãe porque eu não coloco cravo”. Para a fabricação do doce são necessários apenas dois ingredientes, revela o chef: tomate e açúcar

docetomate

O cozinheiro utiliza o tomate italiano e o tipo débora. Os dois são bons porque possuem menos água na sua composição. A mistura de tomate e açúcar é levada ao fogo a uma temperatura média de 130°C e fica lá por cerca de 5 horas. O doce é produzido apenas uma vez por mês. “Nós não conseguimos repor o estoque do produto”, comemora Ivan.

SERVIÇO

Pastifício Primo
Rua Alagoas 28, Higienópolis
(e mais dois endereços na capital)
Tel. (11) 3368-2299
pastificioprimo.com.br

Share Button