Share Button

Duas cheeerleaders do time de futebol americano do Indiana Colts tiveram seus cabelos raspados pela mascote no último dia 26 de setembro.  Pouco antes da partida contra o Buffalo Bills, pela NFL,  as duas prestaram uma homenagem ao técnico do time, Chuck Pagano, que está se tratando de uma leucemia. Os jogadores já haviam raspado os cabelos também. O evento arrecadou 22 mil dólares para pesquisas no tratamento da doença.

No Brasil, as cheerleaders são chamadas de “animadoras de torcida”.  Mas a prática é considerada um esporte, que começa a ganhar força no Brasil.  A União Brasileira de Cheerleading (UBC) foi criada em 2006 pelo professor Wendell Dantas. Quando dava aulas de cultura americana, sempre recebia perguntas de alunas sobre o trabalho das agitadoras de  torcida. Ao pesquisar o tema e perceber que ainda era desconhecido no país, Dantas decidiu popularizar o esporte. Para isso, pediu ajuda do professor de educação física Rodrigo Silva. Hoje, a organização realiza os principais campeonatos nacionais do gênero, além de oferecer aulas da modalidade em formato de treinos coletivos.

De acordo com Silva, o cheerleading tem quatro elementos fundamentais: saltos, elevações (popularmente conhecidas como ‘pirâmides humanas’), coreografias e cheer – a combinação dos elementos anteriores para animas uma torcida. Normalmente, as competições são divididas por estas categorias.

Campeonato - Divisão Elevações

Não existe restrição de idade para aprender a animar uma torcida. Durante as aulas, que acontecem no complexo esportivo Celfran, em Moema, os alunos são divididos por idade. “Até os 11 anos, ensinamos movimentos mais simples, que depois irão se tornar mais complexos, conforme a faixa etária”, afirma Silva. Tanto homens como mulheres participam da atividade tradicionalmente considerada feminina. “Algumas equipes chegam a ser 50% formadas por garotos”, diz Silva. “Os homens podem ser de grande ajuda para fazer elevações ou arremesso.”

Os treinos coletivos duram entre duas e três horas, todo sábado. Cada aluno para R$ 20 por treino que frequentar, mas há um incentivo para as equipes que já chegam formadas –  grupos com dez pessoas ou mais pagam R$ 200 por sessão. Como o campeonato brasileiro de Cheerleading se aproxima (será realizado em 15/12 ), as atividades da UBC estão temporariamente interrompidas. Mas os interessados em participar da turma de 2013 podem entrar em contato com a organização desde já.

Serviço:
UBC – Associação Brasileira de Cheerleading
rodrigo@cheerleading.com.br

Cefran
Av. Juriti, 368, Moema
Tel:(11) 5054-4378

 

Share Button