Share Button

Veronica Bilyk, 48 anos, ainda precisa explicar o tempo todo o que é o pierog, nome que está estampado na porta do pequeno restaurante que abriu na Rua Simão Álvares, em Pinheiros. O salão de 30 metros quadrados do Polska 295 Café & Pierogi  (Polska é Polônia em polonês) tem lugar para apenas 12 pessoas sentadas, mas já serve 240 refeições por semana. Oferece uma proposta de comida rápida, em recipientes descartáveis. O pierog – pastel cozido em formato semicircular muito tradicional no Leste Europeu – é a grande atração da casa, inaugurada no início de maio. A polonesa Iliana Wroski é a principal fornecedora. Leva a massa recheada duas vezes por semana até o restaurante. Eles chegam congelados e são imersos em água fervente apenas antes de servir. “Os pierogi são feitos um a um, num processo completamente artesanal, e com ingredientes frescos”, explica Veronica. “Iliana foi quem me deu a ideia e a coragem para abrir um lugar de culinária polonesa em São Paulo”.

Veronica Bilyk e o Polska 295: o salão tem capacidade para 12 pessoas sentadas

Veronica Bilyk e o Polska 295: o salão tem capacidade para 12 pessoas sentadas

São quatro opções de recheio salgado e duas de doce. O recomendado por Veronica é o tradicional pierogi de purê de batata com cebola refogada. A porção de cinco unidades custa 17 reais e a de oito, 26. O creme de leite azedo gelado por cima é indispensável – e acrescenta mais 4 reais à conta. Em contato com a massa quente, o creme derrete e envolve os pastéis como um molho branco. Por cima de tudo a cebola caramelizada por 6 horas adorna o conjunto. Para acompanhar, a vodca polonesa Wyborowa é servida em shots de 15 reais.

Os pierogis do Polska são feitos um a um, num processo completamente artesanal

Os pierogi do Polska são feitos um a um, num processo completamente artesanal

Filha de pai polonês e mãe brasileira com descendência suíça, Veronica honra a cultura que seu pai fez questão de lhe passar. “Ele gostava muito de comer. E de comer bem”, lembra. Leszek Bilyk supervisionava a qualidade da comida do Clube 44, organização criada em São Paulo no ano de 1947 para reunir os imigrantes poloneses. Foi nesse clube que Veronica conheceu Iliana, dona das mãos que fazem os pierogi, as sopas de beterraba e tomate e também as tortas de maçã (8,50 reais, a fatia).

A torta de maçã é campeã de vendas. A fatia custa 8,50 reais

A torta de maçã é campeã de vendas. A fatia custa 8,50 reais

Veronica decidiu fazer um pot-pourri do – na opinião dela – melhor da culinária polonesa. Ela também é chef de cozinha. Formou-se em Publicidade na Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), mas preferiu se dedicar à gastronomia, com cursos no exterior. Fez uma imersão na área no The Culinary Institute of America e chegou a trabalhar com cozinheiros renomados, como Charlie Trotter, dono do restaurante de mesmo nome, que figurou entre os cinco melhores dos Estados Unidos em 2007.

(Ah, e graças à pagina do Facebook do Polska 295, descobrimos também um bom endereço de doces poloneses: a BeZa Doces. Fica a dica).

Serviço:
Polska 295 Café & Pierogi
Rua Simão Álvares, 295, Pinheiros
Tel.: 3360-8090
Segunda a sexta, 9h/22h; e sábado, 10h/18h

Share Button