Share Button

Os colégios da Rede Marista estão preparando uma homenagem pra lá de curiosa aos alunos que passaram no vestibular. Os calouros foram convidados a participar do projeto “Formando Cidadãos Brilhantes”, que consiste na confecção de um diamante feito a partir de seus fios de cabelos. A joia será presenteada a uma instituição ou personalidade que de alguma forma tenha contribuído para a transformação social da comunidade durante o ano passado.

A Rede Marista possui 17 colégios distribuídos em 14 praças. Dois deles – o Marista Arquidiocesano e o Marista Glória – são paulistanos. Cada praça escolherá um concorrente ao prêmio. Na votação do Arquidiocesano, por exemplo, concorrem a Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD), A ONG Um Teto para Meu País e a Fundação Gol de Letra. Os 14 finalistas passarão pela avaliação de uma comissão que indicará o grande vencedor.

Marista_Arquidiocesano

Colégio Marista Arquidiocesano em SãoPaulo

Segundo Ascânio João Sedrez, diretor do colégio Marista Arquidiocesano, a iniciativa é uma forma de vincular a conquista acadêmica do estudante aos valores de solidariedade, sensibilidade social e responsabilidade socioambiental. “Ao longo de toda a trajetória acadêmica, esses alunos participaram de muitos movimentos de solidariedade e esta ação coroa este momento tão rico de memórias e emoções”, justifica o diretor.

Os alunos parecem ter acolhido a iniciativa. “Além de ser criativa, a proposta incentiva ações voluntárias e beneficentes”, diz Ana Letícia de Mello, formanda do Marista Paranaense. Hegly Lemos Cavalcante, do colégio Pio XII, em Brasília, vai votar no ministro do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa. “Por ter sido o relator do mensalão, ele provou que o problema da corrupção no Brasil pode ser combatido”, afirma. Já Fernanda Sakis Carneiro, que se formou no Colégio Marista Ribeirão Preto, pretende indicar o Hospital do Câncer de Barretos ao prêmio. Ela foi aprovada em 2º lugar no curso de Medicina Veterinária do Centro Universitário Moura Lacerda.

Ana Letícia de Mello formanda do Marista Paranaense

Ana Letícia de Mello formanda do Marista Paranaense

O diamante será confeccionado pela Brilho Infinito, empresa especializada na técnica de transformar o carbono presente nos cabelos na pedra preciosa. É a mesma empresa que, em 2009, produziu o primeiro diamante feito com cabelo do Brasil, a partir das madeixas de Pelé. Em 2010, a empresa aceitou outro desafio: fazer um diamante com a grama do estádio da Vila Belmiro para homenagear o Santos, então campeão da Copa do Brasil. “É a primeira vez, no entanto, que usamos cabelos de calouros”, conta Carlos Pacheco, diretor da Brilho Infinito.

No material confeccionado pela empresa e distribuído aos alunos é possível entender como é feito um diamante de cabelo:

A cerimônia de corte de cabelo dos alunos está marcada para a próxima quinta-feira,  dia 7 de fevereiro. O material será enviado à empresa que, então, levará cerca de 60 dias para confeccionar o diamante. A joia será entregue ao homenageado em uma cerimônia no colégio responsável pela indicação do vencedor, em data a ser definida.

(com colaboração de Júlia Bezerra e fotos de divulgação)

Share Button