Share Button

A casa com porta vermelha, no número 428 da Avenida Ceci, no Planalto Paulista, será incluído na próxima edição do guia Os Endereços Curiosos de São Paulo. Ali, desde 1975, duas irmãs confeccionam chapéus para festas e casamentos. A história começou com a modelo Sabrina Grebinsk. Nos anos 1960, aos 16 anos, Sabrina se encantou com os chapéus que costumava usar nos desfiles que fazia no Rio da Janeiro. Com 35 anos, ela se mudou  para São Paulo e trabalhou por 10 anos na chapelaria de Madame Olly, que desenvolvia os modelos mais afamados da cidade desde a década de 1950. A experiência fez com que, ao deixar Madame Olly, ela pudesse abrir a sua própria loja, a Sabrina Chapéus. No ano de 2000, a irmã dela, Isa Grebinsk, se tornou sócia e o negócio passou a se chamar Sabrina e Isa Ateliê.

03

A primeira a chegar no ateliê é sempre Sabrina. A rotina dela começa às 5 horas, horário em que se inicia a produção manual. “Eu e a Sabrina não somos boas desenhistas”, admite Isa, de 60 anos. “Por isso, nós fazemos os moldes dos chapéus diretamente nas formas de madeiras antigas, que já têm 150 anos”.  Ao receber uma cliente, as duas fazem uma grande entrevista para saber tudo sobre o casamento, a começar pelas cores dos vestidos da noiva e das madrinhas. “O chapéu não pode incomodar, e sim ornamentar”, explica Isa.

Isa conta que a princesa Diana sempre foi uma grande inspiração paras as mulhares usarem chapéus. Com o tempo, os grandes e exagerados modelos da Princesa de Gales foram perdendo espaço para o fascinator, um modelo menor, mais discreto, que não esconde o cabelo, tendo como referência os trajados pela princesa Kate Middleton. “O engraçado é que,  durante anos, nós conhecíamos essa versão pequena pelo nome de ‘casquete'”, explica Isa. “Quando a princesa Kate apareceu com ele, a imprensa estrangeira começou a usar esse outro nome. Muitos jornalistas brasileiros ligavam para cá perguntando o que era um fascinator. Tivemos que pesquisar e perceber que era a mesma coisa”.

Diana e Kate

Além dos chapéus feitos para uso pessoal, o Sabrina e Isa ateliê também tem como clientes as produções de novelas, filmes e peças de teatro. Recentemente, elas também venderam chapéus para os musicais “A Família Addams”, “Evita” e “Alô, Dolly”. Entre os famosos, elas já atenderam a senadora e ex-prefeita Marta Suplicy em seu casamento com Luis Favre, e também a apresentadora Marília Gabriela e a ex-primeira-dama Marisa Letícia, mulher do ex-presidente Lula. A produção do ateliê esteve presente ainda na São Paulo Fashion Week de 2012, desfilando pela marca Neon. Os chapéus podem ser vistos à profusão todos os anos na cabeça de mulheres presentes ao Grande Prêmio São Paulo de turfe no Jockey Club (este ano, a prova internacional será realizada no dia 2 de maio).

Basic CMYK

As encomendas precisam ser feitas com até seis meses de antecedência. São vendidos apenas os chapéus feitos por encomenda. Há modelos expostos no ateliê, que podem ser alugados (a partir de R$150 cada aluguel). “Mesmo que o modelo já esteja pronto, podemos fazer alguma alteração nos detalhes para combinar melhor com a roupa da cliente”, explica Isa. Outro serviço bastante requisitado no ateliê das irmãs é a manutenção dos chapéus. O valor do restauro começa em R$150.

Sabrina e Isa Ateliê
Avenida Ceci, 428, Planalto Paulista
Tel. 3461 – 2125
Atendimento apenas com hora marcada

Share Button