Share Button

A nova ponte estaiada da cidade foi inaugurada hoje. Ela recebeu o nome de Orestes Quércia, ex-governador do Estado, falecido no ano passado. A megaobra liga a Avenida do Estado à pista central da Marginal Tietê.  Antes de ser batizada de Orestes Quércia, havia um projeto do vereador José Aníbal de Freitas (PSDB) para chamar a ponte de  Instituto de Engenharia.

P

Como nossos vereadores adoram batizar ruas, avenidas, viadutos e pontes, aqui vai uma dica do Blog do Curiocidade. A mesma Marginal Tietê tem ainda seis pontes sem um nome específico. São elas:  Vila Guilherme, Casa Verde, Freguesia do Ó, Piqueri, Remédios  e Cruzeiro do Sul. Uma delas é a mais cobiçada. Há três meses, o vereador Ushitaro Kamia (DEM) apresentou um Projeto de Lei para batizar a ponte Cruzeiro do Sul. Kamia, que esteve recentemente enrascado com uma denúncia de desvio de donativos para vítimas de enchentes no Rio de Janeiro,  sugere que a ponte passe a ser chamada de Curt Walter Otto Baumgart. O homenageado foi engenheiro e presidente do Grupo Center Norte. O Shopping Center Norte, o Lar Center, o Expo Center Norte e o Novotel São Paulo Center Norte foram idealizados por Curt (1937 – 2010).

Esse não é o primeiro projeto apresentado para batizar a mesma ponte. Em 2008, o vereador  Antonio Carlos Rodrigues (PR) apresentou o nome do jornalista Ary Silva. Silva  (1997-2001) foi fundador do jornal “A Gazeta da Zona Norte”. Trabalhou na Rádio Bandeirantes e nas organizações Globo, e também foi vereador e deputado estadual. No entanto, não está mais na disputa. O vereador Antonio Carlos retirou seu pedido no mesmo mês em que foi apresentado. Ele não sabia que,  em 2007, o vereador Wadih Mutran (DEM) também apresentou um projeto sugerindo o nome de Ary Silva para a ponte Cruzeiro do Sul. No entanto, a Prefeitura não aprovou a sugestão do nome. Segundo o parecer da Prefeitura, “o acréscimo ao nome original só iria confundir transeuntes, órgãos de informação de trânsito, prestadores de serviço de rádio, além de onerar os cofres municipais e poluir visualmente a cidade, tendo em vista que as placas precisarão ser muito maiores para ter visibilidade”. Em 2007, a explicação era essa. Pelo visto, a regra não vale mais.

Veja quais são as pontes da Marginal que já têm nome:
Complexo Viário Heróis de 1932 (Marinal Pinheiros e Rodovia Castelo Branco)
Dr. Miguel Arraes (Aricanduva)
Imigrante Nordestino (Guarulhos)
Milton Tavares de Souza (Av. Governador Carvalho Pinto e Rod. Fernão Dias)
Presidente Dutra (Rod. Pres. Dutra)
Bandeiras (Av. Santos Dumont)
Adhemar Ferreira da Silva (Limão)
Júlio de Mesquita Neto (Av. Pompeia)
Ullysses Guimarães (Rod. Bandeirasntes)
Atílio Fontana ( Rod. Anhanguera)
Nova Fepasa (ponte ferroviária)
Jânio Quadros (Vila Maria)
Deputado Ricardo Izar (Tatuapé)

(Com colaboração de Karina Trevizan e foto de Evelson de Freitas / AE)

Share Button