Share Button

sorvete-guinness-petit-gateau2

No Twelve Bistrô, o australiano Greigor Caisley deu um jeito de incluir a cerveja em todas as etapas da refeição: a salada de frango leva molho feito com a bebida, assim como o picadinho e a coxinha de rabada. O destaque, no entanto, fica para as sobremesas que usam a cerveja como um de seus ingredientes. “Sou apaixonado por cervejas e quis passar esta obsessão aos clientes pelos pratos”, diz Caisley, que está no Brasil desde 2000.

O primeiro doce criado pelo chef, em 2004, foi o sorvete de Guinness. “A cerveja irlandesa tem um sabor de café e fundo caramelado que se destacam em doces, quando misturados ao açúcar”. O gelado acompanha o petit gâteau de chocolate (foto) e sai por R$ 14. Há também o pudim de pão com sorvete de cerveja belga Liefmans (R$ 14), que tem sabor de frutas vermelhas.  Feito com a nacional Colorado Indica, o crème brûlée não está disponível todos os dias: é preciso confiar na sorte para provar o doce, que também custa R$ 14. Uma opção mais básica é o brigadeiro de cerveja escura, que sai por R$ 6.

A uma quadra dali, a cerveja escura também é usada no bolo mais famoso do Les Delices de Maya, de chocolate 70% cacau. A chef e proprietária do restaurante, Maya Midori, usava Guinness para fazer o quitute, que é vendido a R$ 60,00 o quilo. Agora, a cerveja usada é Xingu. A mistura de chocolate com bebida alcoólica é usada em todas as partes do bolo: massa, recheio cremoso e ganache. Maya garante que o sabor agrada até a quem não bebe cerveja: “Nem dá para perceber o gosto do álcool”, diz.

Serviço:
Twelve Bistrô
R. Simão Álvares, 1.018, Pinheiros, 3562-7550

Les Delices de Maya
R. Mourato Coelho, 1.044, Pinheiros, 3813-3498

(Com reportagem de Míriam Castro e foto de divulgação)

Share Button