Share Button

Mesmo gostando do trabalho de selecionar modelos para campanhas comerciais, a ex-publicitária Kica de Castro alimentava o sonho de ser fotógrafa. Estávamos em 2000 quando ela largou o emprego e começou a fotografar eventos corporativos, casamentos, festas e batizados.  Mas a vida dela mudaria de verdade em 2002, ao ler um classificado com uma oferta de emprego para fotógrafo. A empresa era um centro de reabilitação para pessoas com deficiência. O trabalho? Fotografar a evolução dos pacientes depois dos tratamentos, das terapias e das cirurgias. “As fotografias eram importantes para os médicos”, lembra Kica. “As pessoas, porém, eram chamadas pelos números do prontuário. Andavam cabisbaixas, nunca respondiam meu bom dia”.

Kica de Castro e Priscila Menucci em homenagem no dia internacional da mulher 2013

Kica de Castro (esquerda), ao lado da modelo Priscila Menucci, numa homenagem ao Dia Internacional da Mulher

Depois de conversar com uma amiga, a psicóloga Patrícia Pimentel, que também trabalhava no centro de reabilitação, Kica optou por mudar seu método de trabalho: “No dia seguinte, comprei revistas, maquiagens e brinquedos para tentar descontrair o ambiente”, lembra. “O resultado foi bom. Os pacientes ficaram mais felizes, começaram a sorrir, conversar e a responder meus cumprimentos”.

Em 2004, alguns pacientes arriscaram pedir poses fora do padrão determinado pelos médicos. Kica utilizava a estrutura do centro, depois do horário de expediente, para realizar essas vontades. “Todos ficavam surpresos com o resultado do material”, conta. “Passei a chamá-los de modelos”.

Paula Ferrari

Foto da modelo Paula Ferrari

Incentivados pela ex-publicitária e motivados pelos resultados das fotos, esses pacientes foram até agências de modelo profissionais para procurar trabalhos publicitários. Todos levaram sonoros “não” na cara. Ninguém conseguiu fazer nenhuma campanha. O resultado, no entanto,  inspirou Kica a pensar em abrir uma agência especializada em modelos deficientes”. A fotógrafa deixou do hospital em 2006 para inaugurar o novo negócio. No início, a agência contava com apenas cinco modelos no seu casting. “Tive que ouvir muitas críticas”, afirma Kica. “Diziam que ninguém enxerga deficiente com beleza. De fato, o primeiro passo foi convencer os modelos deficientes que eles eram capazes e bonitos”.

Giovanni Venturini

Foto do modelo Giovanni Venturini

Hoje, Kica conta com 81 modelos, todos deficientes. Além de São Paulo, a agência já realizou trabalhos em Goiânia, Salvador e Rio de Janeiro. “Beleza e deficiente não são palavras opostas”, acredita. Todos os anos, a fotógrafa realiza a “Semana da Beleza” para descobrir novos modelos. A participação é gratuita e o número de vagas, limitado. “O objetivo é o resgate da beleza como motivação para impulsionar a autoestima e ajudá-los a encontrar um caminho”, finaliza Kica.

Mah Mooni

Foto da modelo Mah Mooni

Carolina Vieira

Foto da modelo Carolina Vieira

 

Serviço:
Agência Kica de Castro
Tel. (11) 98131-0154
www.kicadecastro.com.br

Clique e leia o regulamento do projeto” Semana da Beleza”

Share Button