Share Button

Está marcado para hoje o lançamento oficial da plataforma Draft, novo projeto do jornalista Adriano Silva, ex-diretor da revista Superinteresante, ex-chefe de redação do programa Fantástico e responsável pela vinda do blog de tecnologia Gizmodo para o Brasil. No ar desde o dia 31 de agosto, o Draft pretende abordar um campo praticamente ignorado pela imprensa: a cobertura midiática dos novos empreendimentos nacionais. O evento de inauguração, exclusivo para convidados, contará com uma palestra de Marcel Kampman, diretor de criação do PicNic, um dos maiores eventos de inovação e criatividade do mundo, realizado em Amsterdã.

Adriano Silva, CEO do Projeto Draft

O Projeto Draft funciona como uma revista eletrônica especializada, com o conteúdo – reportagens e depoimentos em forma de texto e vídeo – voltado para o setor dos novos empreendimentos. Quais são esses “novos empreendimentos”? Segundo Adriano, três nichos ajudam a definir a linha editorial de seu veículo: economia criativa, em que estão inclusas indústrias inovadoras de mídia, tecnologia e artes; sustentabilidade, área de pensamento inovador praticamente obrigatória em toda empresa de médio ou grande porte; e mundo das startups, que nada mais é do que o cenário de surgimento de novas ideias empreendedoras. “Vivemos no Brasil um momento inédito”, justifica o jornalista – ele mesmo um empreendedor criativo que poderia virar pauta do Projeto Draft. “Nunca houve tanto dinheiro girando em busca de novos empreendimentos: se há cinco anos havia uma aceleradora de startups no mercado, hoje temos mais de 50”.

Adriano reconhece que o assunto seja de difícil compreensão para o leitor leigo, e não espera que o Draft atinja um público geral. Sua intenção é que o conteúdo da plataforma chegue a três perfis-alvo: os makers, os movers e os dreamers. Os primeiros são os próprios empreendedores criativos, que participam ao mesmo tempo como personagens e consumidores do Draft. Já os movers são aqueles empreendedores que buscam ideias criativas. “O conteúdo do Draft pode servir como inspiração para que esses movers se tornem makers”, explica Adriano Silva. Os dreamers, por fim, são curiosos interessados pelas histórias de inovação. “Nada impede que eles venham a se tornar movers e então, makers”, completa, fechando o ciclo.

A exemplo de Adriano, outros profissionais da área de jornalismo estão se aventurando por caminhos inovadores. Os irmãos jornalistas Brenda e Júlio Fucuta, junto ao publicitário Caio Coimbra, criaram em 2012 uma agência com um mote bastante curioso: o design de causas sociais. O trabalho na Editora Abril proporcionou ao trio uma significativa experiência corporativa, que bastou para que percebesse um espaço no mercado: “As grandes empresas precisam de ajuda para entender e aplicar questões sociais de forma ao mesmo tempo sensível e estratégica”, explica Caio Coimbra, que atuou no departamento de marketing da revista Planeta Sustentável por quatro anos. Fundada a Design de Causas, empresas interessadas em se engajar em causas sociais passaram a ter a quem recorrer. O serviço da agência é completo: contempla desde um estudo jornalístico do perfil da empresa até o design de uma causa social que vá de acordo com suas convicções, passando por todo o planejamento estratégico necessário para a bem-sucedida aplicação da nova política.

Captura de Tela 2014-09-22 às 20.34.24

Da esquerda para a direita, Caio Coimbra, Brenda Fucuta e Júlio Fucuta

Outra jornalista que encontrou uma brecha no mercado empresarial foi Bárbara Soalheiro, que fundou em 2011 sua Mesa & Cadeira, empresa originalmente criada para fomentar grupos educativos de discussão sobre determinados temas. Com o tempo, a jornalista percebeu que seu projeto se encaixava numa necessidade crescente do mundo dos negócios: a consultoria para a solução de crises. Os grupos de discussão se transformaram em grupos de resolução de problemas os mais diversos possíveis. No prazo máximo de seis dias, a empresa contratante do serviço recebe uma solução criativa para a crise em questão, desenvolvida por cabeças jovens e inovadoras.

Bárbara Soalheiro, criadora do Mesa & Cadeira

Bárbara Soalheiro, criadora do Mesa & Cadeira

A história do projeto de Bárbara Soalheiro é uma das nove escolhidas para compor o livro “Empreendedorismo Criativo”, de Mariana Castro.  Ao longo de dois anos, a autora, também jornalista e diretora da empresa que detém a marca Gizmodo Brasil, se empenhou em registrar o perfil dos principais negócios inovadores lançados recentemente por jovens brasileiros. Além da Mesa & Cadeira, são contempladas as empresas Inesplorato, Perestroika, Catarse, Webcitizen, Mandalah, Cria, Box 1824 e Flag. Ao transformar cada empresa em um personagem cheio de histórias, o livro se torna, ao espelho delas, igualmente inovador.

Share Button