Share Button

O chão do ônibus será coberto por grama sintética, o interior do veículo ganhará dois televisores (os jogos da Seleção Brasileira serão transmitidos ao vivo), e bandeiras revestirão as laterais. Existe ainda a possibilidade de se instalar um telão no lugar do vidro traseiro para deleite também dos transeuntes. “Se o jogo estiver muito bom, a gente estaciona o ônibus, desce e assiste a partida com quem estiver passando na rua”, brinca o motorista Edilson de Oliveira Santos, de 45 anos, mais conhecido pelo apelido de “Fumassa, o Motorista do Busão”. “Isso aqui vai virar um estádio ambulante torcendo para o Brasil ser campeão”. Ele trabalha na Viação Vaz, de Santo André, na Grande São Paulo, e faz a linha I-03 (Jardim Bom Pastor até o Parque Capuava) das 3h40 às 13h30. É ainda responsável por dirigir os ônibus temáticos criados pela empresa.

DSC04907

“Meu ônibus vai virar um estádio ambulante”, diz o motorista Fumassa, segurando um esboço do futuro Copa Bus, desenhado por ele

Ao longo da Copa do Mundo, no comando do Copa Bus, o motorista avisa que terá três trajes oficiais: Papai Noel verde e amarelo, jogador de futebol e Fuleco, a mascote da Copa do Mundo. “As duas primeiras  já estão prontas, só a fantasia do Fuleco  está em fase final”, empolga-se. Fumassa mandou colocar  uma buzina bem estridente e irá distribuir bandeiras e apitos em todas as paradas.

O Copa Bus já circulou pelas ruas de Santo André na Copa do Mundo da África do Sul, em 2010. Inicialmente, o projeto era enfeitar o interior do veículo com bandeirinhas e distribuir apitos. Só que Thiago Vaz, dono da companhia, resolveu incrementar a invenção de Fumassa e encomendou uma pintura especial para a lataria do ônibus. “Ficou muito melhor do que eu esperava”, aprovou o motorista. Para este ano, a Viação Vaz enviou, no inicio de janeiro, um e-mail para a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), pedindo autorização para estampar o rosto dos jogadores do Brasil e o escudo da Seleção em torno do ônibus. A solicitação não foi respondida.

copabus01

Primeiro ônibus do projeto Copa Bus em 2010

Fumassa começou a trabalhar na empresa como cobrador em 2003. Ganhou o apelido (com dois esses mesmo!) por causa do irmão mais velho, Edenilson, o “Faiska”, 48 anos, que também trabalhava na empresa. Já como motorista, Fumassa ficou famoso na região por causa de suas poesias, que eram pregadas dentro do coletivo. Sua mulher, Luciene Assini Sebastiani Santos, 39 anos, que é professora infantil, revisa as produções. “Ele escreve bem, só comete um ou outro deslize”, conta ela. “Prefiro escrever em datas comemorativas, pois elas me ajudam a ter boas ideias”, diz Fumassa, pai de dois filhos (Gustavo, 16, e Nayara, 18). As celebrações mais inspiradoras são o Dia Internacional das Mulheres e o Dia das Mães. Para o próximo dia 8 de março, ele escreveu: “Bem aventurada a mulher que, dia após dia, com pequenos gestos, com palavras e atenções que nascem do coração, traça sedas de esperança para a humanidade”.

O sorrisão só se fecha quando ele fala dos 10 assaltos que enfrentou e sobre a eleição de 2012. Fumassa saiu candidato a vereador em Santo André pelo PSC. Recebeu 3.081 votos e não se elegeu por pouco. Em compensação,  ele volta a sorrir quando dá detalhes do Bus Noel, projeto semelhante ao Copa Bus, com temática natalina, criado por ele há 11 anos. A Viação Vaz investiu 60 mil reais para equipar o ônibus em dezembro passado. Pintado de vermelho e coberto por  pisca-piscas, o ônibus carregava uma máquina que produzia neve por onde o veículo passava.

bus noel

Fumassa, ao lado do Bus Noel, que circulou em dezembro passado pelos bairros de Santo André

Share Button